27.12.05

Férias!!! Quem paga a conta???

19.12.05

( In ) segurança pública

No último final de semana, pessoas que conheço na cidade, entraram para estatística de crimes contra o cidadão brasileiro; um homem assassinado, uma mulher ferida a bala, um jovem a faca, dois carros roubados, um sequestro relâmpago,...

14.12.05

Trânsito em NY

Fórum Econômico em NY

Trânsito carregado na avenida próximo a sede do evento. Por segurança, a polícia fechou ruas ao redor do Hotel Waldorf Astoria, local do fórum. Aqui, as pessoas se interessam por esses temas.

8.12.05

No toque das ruas...

As impressões que trago das ruas. Convido a andar comigo...
Foto:Luis Engroba

6.12.05

Fonte:pedemeias

Se falam,como escrevem!!!

4.12.05

Arte indígena


Paris recebe exposição de arte indígena brasileira. O acervo da mostra de arte indígena brasileira contém peças que abragem desde a pré-história das civilizações indígenas brasileiras.

Sem comentário

Blog Inho

Solar

Por suas características arquitetônicas, supõe-se que este edifício seja um remanescente da última metade do século XVIII. Sabe-se que em 1834 foi adquirido por D. Maria Domitilia de Castro Canto e Mello, a Marquesa de Santos, que o transformou numa das residências mais aristocráticas de São Paulo, passando a ser conhecido também como Palacete do Carmo. Considerado como o último exemplar de arquitetura residencial urbana do século XVIII. Fonte:Prodam

calle Florida, Buenos Aires

Passeio Público

Estamos na Avenida Caio Prado, que fica atualmente nos fundos do Passeio Público, aquela que dá para o lado do mar. Foi iniciada, em 1864, a construção do Passeio Público no Largo da Fortaleza ou Campo da Pólvora, que era a primeira praça da povoação, na gestão do presidente da Província Dr. Fausto Augusto de Aguiar, compreendendo três planos, o atual e outros dois mais abaixo, hoje ocupados pela Avenida Leste-Oeste. O Passeio Público já foi Campo da Pólvora, Largo da Fortaleza, Largo do Paiol, Largo do Hospital de Caridade, Praça da Misericórdia e, a partir de 3/04/1879, Praça dos Mártires. Teve dois nomes não oficiais: Campo da Pólvora (1870) e Passeio Público, pelo qual é hoje conhecido. A praça foi urbanizada em 1864.
Fonte